PUBLICIDADE
3
AVANÇAR

Menu

+

0

0

Viana do Castelo

Viana: Médica de Centro de Saúde aposentou-se – PSD exige “substituição imediata”

19 Março, 2024 - 12:15

263

0

“O bem-estar das populações é obrigatório e cabe às entidades competentes estarem atentas e anteciparem este tipo de problemas”.

[Atualizada 16h42 – com versão da ULSAM]

 

A Comissão Política do PSD de Viana do Castelo e os eleitos do PSD da freguesia de Lanheses manifestam-se preocupados “face à ausência constante de médicos no centro de saúde de Lanheses”.

 

Em comunicado enviado à Rádio Vale do Minho, aquela estrutura relata que “agora que a única médica que ainda prestava serviço neste espaço se aposentou, a população vê-se numa situação de grandes constrangimentos num período delicado, sabendo que continuam a existir problemas no acesso aos cuidados de saúde na ULSAM e em outros centros de saúde do concelho”.

 

Desta forma, os sociais-democratas exigem à ULSAM “a substituição imediata da médica, com a abertura urgente dos procedimentos de concursos para suprir esta grave lacuna”.

 

Considera ainda o PSD que “sendo que Lanheses é uma freguesia com mais de 1.500 habitantes é imperativo que o Centro de Saúde se mantenha em funcionamento”. 

 

“Para o PSD de Viana do Castelo e para os eleitos do partido na freguesia de Lanheses, o bem-estar das populações é obrigatório e cabe às entidades competentes estarem atentas e anteciparem este tipo de problemas”, acrescentam.

 

Paulo Vale, vereador pelo PSD na Câmara de Viana do Castelo, diz ter questionado o presidente da autarquia sobre este assunto, que remeteu quaisquer esclarecimentos para a ULSAM.

 

 

 

ULSAM desmente

A Unidade Local de Saúde do Alto Minho (ULSAM) desmentiu esta terça-feira as afirmações do PSD Viana do Castelo e garante que “não é verdade que a Extensão de Saúde de Lanheses funcionava com uma só médica. Nesta extensão prestavam serviço duas médicas até 1 de março”.

 

“Após 1 de março, com a aposentação de uma delas, esta unidade de saúde ficou a funcionar com uma médica representando assim uma lista de 1.217 doentes temporariamente sem médico de família.  Salienta-se que esta Unidade não tem outros doentes sem médico de família”, refere a ULSAM em nota enviada à Rádio Vale do Minho.

 

Mais acrescenta, no mesmo comunicado, que “o Conselho de Administração a fim de substituir esta ausência já encetou as diligências necessárias para a ocupação desta vaga através do necessário concurso”.

 

“O Conselho de Administração da ULSAM está atento a situação, e encontra-se a envidar todos os esforços para conseguir a substituição no mais curto espaço de tempo, a fim de garantir a continuidade e a qualidade dos serviços de saúde prestados à comunidade, ressalva-se que a ausência desta profissional apesar de expectável não era conhecida a data de saída efetiva, pelo que, esta ausência não podia ter sido acautelada”, acrescenta aquela unidade.

 

 

 

[Fotografia: doLethes]

Últimas