PUBLICIDADE
AVANÇAR

Menu

+

0

1

Valença

Valença: A ‘menina’ Felismina (tão sorridente!) fez 100 anos – Veja o VÍDEO e FOTOS

15 Abril, 2022 - 22:41

1733

0

Mais uma centenária em Valença.

Uma autêntica romaria parou à porta da menina Felismina Mota ao final da tarde desta sexta-feira, na freguesia de S. Pedro da Torre, em Valença.

 

Na frente, o presidente da Câmara, José Manuel Carpinteira. Nos flancos, jornalistas que quiseram registar o momento para a posteridade.

 

A sala de jantar era pequena para tamanha multidão. Lá dentro, acomodada no sofá, estava a menina Felismina que a todos recebeu com um sorriso. Chegou à vetusta idade de 100 anos.

 

José Manuel Carpinteira foi o primeiro a felicitar a nova centenária de Valença.

 

“Muito obrigada! Muito obrigada!”, respondeu a jovem Felismina de sorriso aberto e invejável lucidez.

 

Mais uns cumprimentos e era hora de cantar os Parabéns. Precisou apenas de ajuda para levantar-se do sofá. Seguiu para a mesa pelo seu próprio pé… e a imprensa olhava embevecida com aquela montanha de juventude.

 

“O segredo para chegar aos 100 anos? Isso também eu gostava de saber para chegar lá”, disse-nos Liliana Martins, sobrinha por afinidade de Felismina Mota. “Foi sempre uma mulher muito lutadora. Passou a maior parte da vida a trabalhar no campo”, contou.

 

 

 

Veja a nossa galeria de fotos:

 

 

Felismina perdeu o marido muito cedo. Já passou quase meio século desde esse dia fatídico. Tem apenas um filho… mas já conta com dois netos e quatro bisnetos.

 

“Com 90 anos, ela ainda ia ao monte com um carrinho de mão. Tenho uma fotografia dela, aos 92 anos, ainda a limpar o jardim. Incrível, mesmo!”, prosseguiu Liliana.

 

A menina Felismina é conhecida em toda a freguesia por Tia Pinotas. Herdou a alcunha pela qual o marido era conhecido. No entanto, a maior imagem de marca desta jovem foi e ainda é a alegria que transborda.

 

“Ela adorava excursões. Nos autocarros era ela sempre que animava as pessoas. Cantava… dançava… alegrava toda a gente”, recordou a sobrinha.

 

Cantaram-se os Parabéns. Curiosamente, e a comprovar o que foi dito pela sobrinha, Felismina reagiu imediatamente com palmas no final. Lá estava a alegria contagiante que a caracteriza.

 

Visivelmente orgulhoso, o presidente da Câmara sublinhou à Rádio Vale do Minho a importância de homenagear o património humano do concelho.

 

“Este é um dia de felicidade para a Dna. Felismina, para a família da Dna. Felismina e também para o Município. Que a Dna. Felismina continue connosco por muitos anos”, concluiu Carpinteira sempre sorridente.

 

Felismina Mota nasceu a 15 de abril de 1922. Tempos em que Portugal saia de uma outra pandemia – a gripe pneumónica.

 

Enquanto as bombas alemãs rebentavam lá ao longe, na II Guerra Mundial, Felismina ia trabalhando no campo. Aprendendo mais sobre a vida. “Cuidou do seu filho e também de filhos dos outros. É um coração aberto”, contaram-nos.

 

Viveu o Estado Novo. Fez 52 anos e, 10 dias depois, a Liberdade chegou a Portugal com a revolução dos cravos

 

Felismina não perdia o sorriso. A alegria de viver. Teve netos… e bisnetos. Até que chegou o dia de hoje onde deixou de soprar duas velas.

 

Agora são três. Orgulhosamente três.

 

 

Veja o vídeo dos Parabéns à menina Felismina:

 

 

Últimas