Home Alto Minho Sindicatos querem criar uma “base de dados” de trabalhadores para evitar “economia paralela”