PUBLICIDADE
AVANÇAR

Menu

+

0

0

Desporto

Rescaldo do fim-de-semana desportivo de 2 a 5 de Março

5 Março, 2012 - 12:36

78

0

Houve de tudo e para todos os gostos, em matéria desportiva, no fim-de-semana que acabamos de viver e desfrutar: “Suspense”, surpresas, ultrapassagens, decisões, polémicas, trapalhadas, “chicotadas” e “casos”. E claro, o melhor de tudo: futebol, falando mormente desta modalidade!

Houve de tudo e para todos os gostos, em matéria desportiva, no fim-de-semana que acabamos de viver e desfrutar: “Suspense”, surpresas, ultrapassagens, decisões, polémicas, trapalhadas, “chicotadas” e “casos”. E claro, o melhor de tudo: futebol, falando mormente desta modalidade!
“A febre de Sexta à noite”, ou seja, o rescaldo do clássico da Luz ainda está para durar, já que a “cura” se antevê prolongada e os comprimidos “Proença”, receitados para baixar a temperatura, acabaram por criar efeitos contrários e prolongar a “febre encarnada”, sabe-se lá até quando…

Bem, deixemos, por agora, o campeonato dos “grandes” e voltemo-nos para a “nossa” Honra, onde se confirmou o que temíamos ao líder Courense que, em semelhança com o Benfica (como o comparámos a semana passada) acabou também por perder a vantagem de cinco pontos e ser ultrapassado na tabela classificativa. Os courenses vêm duma série de cinco encontros consecutivos sem saborear o perfume duma vitória e, pior que isso, de duas derrotas seguidas que, aliadas ao empate de ontem no temível campo dos Piães levaram o pecúlio amealhado e a “queda” para o segundo degrau, também esse ameaçado já no próximo Domingo, com a recepção ao Neves.
Os comandados de Quim Zé ainda seguraram por algum tempo a liderança (por duas vezes estiveram em vantagem), mas não conseguiram evitar dois golos que lhe retiraram igual número de pontos, com a consequente ultrapassagem do Ponte da Barca que arrancou três golos, frente aos homens do Castelo, que na segunda parte não conseguiram manter as “portas” bem fechadas.
E agora, Courense? Que esperar dum clube que deixou escapar doze nos últimos quinze pontos possíveis? E muita atenção que a “sombra” Neves, que ontem afastou os cornelianos da luta, estará aí por Coura já na próxima Jornada!
O Desportivo de Monção averbou uma vitória absolutamente normal, perante o Távora, confirmando sintomas de recuperação do melhor momento e subiu até ao quarto lugar, ultrapassando o Correlhã, com quem travará embate, em seguida. Já o Valenciano não conseguiu repetir o brilharete de Paredes de Coura e não foi capaz de se impor ao Lanheses, aguentando o nulo durante os noventa e tal minutos, mantendo-o a “morder os calcanhares”, com o “estatuto” da extraordinária recuperação na segunda volta.
Continuaremos muito atentos às sete rondas em falta, mas com a evidência que o Courense corre agora atrás do “prejuízo”, após um mês conturbado e complicado em termos produtivos.

Baixando à I Divisão, reportamos a fase final da competição onde o Campos manteve o estatuto de invicto, após nova deslocação, mas ontem, na Coutada, a prestação ficou com amargos de boca, pois nem a superioridade numérica de duas “pedras”, durante largo período de tempo, foi suficiente para repor a vantagem “atraiçoada” pelo guardião cerveirense. O empate em Paçô mantém intactas as aspirações, tanto que continua a ocupar um posto de acesso à Honra e já efectuou dois encontros fora do 1º de Janeiro. A “surpresa”, por enquanto, mora em Bertiandos, um líder onde os cerveirenses já averbaram um precioso ponto.
O torneio corre de feição ao Moreira, apesar de instabilidade directiva, que ontem obteve a vitória mais expressiva da série frente ao Fachense, e ao Castanheira que soma por vitórias os dois encontros efectuados, em semelhança com a edição anterior onde saiu vencedor. Já o Raianos teve meio “naufrágio” junto á praia de Moledo, onde deixou dois pontos e denotou algum desinteresse pelo encontro.

Nos confrontos do Nacional, tudo ficou já decidido relativamente à posição da próxima fase. Se ao Cerveira não restava senão disputar a luta pela permanência, ontem acabou por ser traçado o mesmo destino ao Melgacense. Não conseguindo melhor que uma igualdade a duas bolas perante o Marinhas – e os dois golos em resultado de duas grandes penalidades, apontadas pelo madeirense – os comandados de Paulinho, ao contrário da época anterior, vão ter de se enfrentar com o “fantasma” pelo menos durante as primeiras rondas dos dez jogos da fase derradeira.
Nesta penúltima jornada, o empate em Melgaço foi duplamente negativo: primeiro, para o próprio Melgacense, impedido, desde logo da esperança no sexto lugar; depois para si e Cerveira, em luta pelos mesmos objectivos.
O Cerveira teve mérito nos três pontos arrecadados perante o Vilaverdense, cumprindo-se o nosso vaticínio que a “tranquilidade do Vilaverdense, aliada à motivação extra dos cerveirenses trazida da vitória de Fão e ao sentimento generalizado do tudo por tudo, na esperança de ainda ser possível a salvação, em conjunto, poderão contribuir para um êxito importante, extremamente necessário e imperioso para o objectivo permanência”. E ainda bem que tal aconteceu.
Resta ainda uma jornada e se bem que não altere o posicionamento para a fase imediata, ela é extremamente importante para fecho de contas com vista à divisão futura. E se ao Melgacense e Cerveira apenas sirva a vitória para conseguirem mais um ponto (um empate mantém os pontos actuais – 15 e 25 darão 8 e 13, tal como 16 e 26), a verdade é que ao Cerveira, mesmo um empate trará vantagem, pela manutenção da diferença com o Marinhas.
De resto, nesta prova, o Vianense, com golo solitário, ganhou em Esposende, recuperou o segundo lugar e só foi pena o Melgacense não ter aproveitado esta “boleia”. O Santa maria, com a maior goleada da competição perante o Joane, garantiu o título de campeão de série.

No Inatel, enquanto o Estrela de Monção ficou em descanso pelo adiamento do encontro, o Longos Vales não deixou fugir a derradeira oportunidade de perfilhar o topo e derrotou o Cepões, afastando-o da aspiração à liderança, só que o Anais não se deixou intimidar em Gondar e acabou por triunfar também, mantendo-se alerta na dianteira.

Nuns e noutros campeonatos, vamos continuar na expectativa.

Últimas