PUBLICIDADE
3
AVANÇAR

Menu

+

1

0

Vila Nova de Cerveira

Oficial: Vikings vão regressar a Vila Nova de Cerveira (e vão ficar mais dias!)

29 Maio, 2024 - 17:37

1801

0

Festa da História.

A edição deste ano da Festa da História volta a ser dedicada à Era Viking. 

 

O anúncio foi feito esta quarta-feira pelo Município de Vila Nova de Cerveira. A próxima edição deste evento vai também ter mais dias: passa a cinco. 

 

Vai acontecer nos dias 14, 15, 16, 17 e 18 de agosto. 

 

“Ano após ano, a Festa da História de Vila Nova de Cerveira tem-se afirmado no roteiro nacional das Feiras Medievais. Assim, a expetativa mantém-se elevada e a autarquia cerveirense tem procurado introduzir elementos diferenciados e inovadores para que residentes e visitantes sejam surpreendidos”, realça a autarquia.

 

Já estão também abertas as candidaturas para expositores.

 

Para a edição de 2024, mercadores, taberneiros, artesãos e associações interessados em participar podem submeter a sua candidatura, consultando as Normas de Participação específicas, entre esta quinta-feira, 30 de maio e o dia 14 de junho, junto dos Serviços Culturais da Câmara Municipal, através do email [email protected] ou do telefone: 251 70 80 20.

 

A confirmação de seleção é dada a 21 de junho.

 

Com organização da Câmara Municipal e produção da Associação Velha Lamparina, a Festa da História’24 de Vila Nova de Cerveira decorre de 14 a 18 de agosto, nas ruas do centro histórico (Terreiro, César Maldonado, Rua Costa Pereira, Rua Costa Brava, Baluarte de Santa Cruz, Rua Dr. José Duro, Praça Alto Minho, Rua Queirós Ribeiro e Avenida dos Pescadores).

 

 

 

O que têm os vikings a ver connosco? Muito.

Recorde-se que estes guerreiros nórdicos chegaram à Península Ibérica no ano 840. Desembarcaram na Galiza e, contam os historiadores, terão ficado encantados com a já existente Torre de Hércules. Pouparam este grandioso monumento ainda hoje em pé, perfeitamente funcional.

 

Um século depois, estes invasores continuavam por cá. Chegaram ao sul da Galiza e saquearam totalmente Tui.

 

Percorreram o rio Minho e terão deixado vestígios da sua passagem Melgaço, no Monte do Prado, onde existem cabeças esculpidas cuja autoria é-lhes atribuída por vários especialistas.

 

Ainda hoje não está determinada a razão verdadeira que levou ao fim dos ataques vikings na Península Ibérica.

 

Há quem defenda que, por volta do ano 1000, os nórdicos aceitaram a fé cristã. No entanto outros existem a considerar que, em vez de prosseguir com os ataques, optaram por negociar e até comercializar com os restantes reinos da Europa.

 

 

 

[Fotografia: Arquivo/Município VN Cerveira]

Últimas