Menu

+

0

0

Monção

Monção: PSD lamenta ‘falta de sintonia’ entre Câmara e restauração

9 Janeiro, 2016 - 19:26

175

0

‘Lombelo à São Jorge’ foi apresentado há sete meses. Restaurantes pouco têm promovido a nova criação gastronómica.

Foi há mais de sete meses. Em maio do ano passado foi apresentado o que era suposto ser uma criação gastronómica monçanense talhada para o êxito – o «Lombelo à São Jorge». Perante dezenas de empresários da restauração do concelho, o novo prato entrou no Museu do Alvarinho pelas mãos do chefe José Vinagre. Dos ingredientes, para além do lombelo, destacavam-se ainda as bicas e o arroz caldoso de grelos. A criação foi batizada com um nome de um santo sobejamente conhecido na terra, quanto mais não seja pela ‘dura batalha’ que todos os anos trava com a Coca. “Temos um prato que pode estar todo o ano nas vossas cartas [ementas]. Se queremos que seja um prato que de alguma forma represente Monção, o cliente não pode chegar cá e ser informado de que os restaurantes só o fazem na primavera ou no verão”, realçou na altura Condé Pinto, presidente adjunto executivo da Associação Portuguesa de Hotelaria, Restauração e Turismo (APHORT).
Mais de 200 dias após esta sessão, a aposta no novo prato por parte dos restaurantes da vila parece ser residual. Ora não existe em vários restaurantes, ora não aparece nas ementas e muito menos tem sido publicitado na parte exterior dos estabelecimentos. “Isto é mais uma prova de que, quando se avança para a promoção seja de um prato ou de qualquer outro tipo de evento, deveria haver alguma sintonia entre a Câmara Municipal e a restauração”, disse à rádio Vale do Minho António Barbosa, vereador pelo PSD na Câmara de Monção. “Nós, enquanto força política, nem sequer fomos convidados [para a sessão de apresentação] e nem nos foi dado qualquer conhecimento na altura relativamente a essa matéria”, lamentou o autarca.

Augusto Domingues desdramatiza e sublinha importância do cordeiro

Ouvido pela rádio Vale do Minho, o presidente da Câmara de Monção desdramatizou o cenário. “Aparentemente, a restauração não agarrou esta ideia lançada. Mas agarrou no cordeiro [à moda de Monção] e também a lampreia. Continua a agarrar o sável e cada vez mais a promoção e venda do vinho Alvarinho”, apontou o edil socialista. “Esses são produtos tradicionais que vejo que são cada vez mais procurados e consumidos”, sublinhou.
Sobre o «Lombelo à São Jorge», o autarca rejeita a ideia de fracasso. Augusto Domingues realça que “são sempre ideias que lançamos para que a restauração lhes pegue. Lido mal com o fracasso. Gosto mais do sucesso. Quando não dá uma coisa, passo logo para outra”.
As atenções gastronómicas da edilidade, contou Augusto Domingues, estão nesta altura centradas no «Cordeiro à Moda de Monção». Em processo de certificação, o presidente da Câmara espera que o Festival anual deste prato atinja a dinâmica e a popularidade da Feira do Alvarinho que acontece também todos os anos em Monção. “É para isso que estamos a trabalhar”, garantiu o presidente da Câmara à rádio Vale do Minho.
Recorde-se que a apresentação do «Lombelo à São Jorge», ocorrida em maio do ano passado, integrou-se na iniciativa “Prove Alto Minho”, promovida pela CIM – Alto Minho; pela APHORT e pelos dez municípios da região.

Últimas