PUBLICIDADE
3
AVANÇAR

Menu

+

0

0

Valença

Ministra da Saúde considera hospital de campanha um "processo completamente demagógico"

30 Março, 2010 - 16:35

260

0

A ministra da Saúde, Ana Jorge, considerou hoje a montagem de um hospital de campanha em Valença do Minho um "processo completamente demagógico", garantindo que a população tem "todas as condições" necessárias ao nível dos cuidados de saúde.

A ministra da Saúde, Ana Jorge, considerou hoje a montagem de um hospital de campanha em Valença do Minho um "processo completamente demagógico", garantindo que a população tem "todas as condições" necessárias ao nível dos cuidados de saúde.
"É um processo completamente demagógico", reagiu Ana Jorge em declarações aos jornalistas em Viseu, garantindo que o encerramento do SAP é para manter, até porque estas decisões não são tomadas "de uma forma leviana".
A governante frisou que a reforma na organização dos horários dos centros de saúde tem como objetivo fundamental "garantir à população que tem os cuidados que necessita", considerando "uma falsa segurança para a população" ter um SAP aberto durante a noite mas sem condições.
"Temos para aquela população dois serviços de urgência básica e um serviço médico-cirúrgico e toda a população neste momento do distrito de Viana tem médico de família, o que permite que possa ter consulta quando necessita durante o dia", sublinhou.
Acrescentou que quando acontece alguma urgência são precisos "outros cuidados", que podem implicar meios complementares de diagnóstico, nomeadamente radiologia e análises, e esses podem tê-los "nos serviços de urgência básica ou no serviço de urgência médico-cirúrgica".
"Isso está garantido, para além de terem quer as ambulâncias de Suporte Imediato de Vida, quer o reforço que houve também nos postos de emergência médica, além de uma VMER que já está em funcionamento", realçou.
Ana Jorge lembrou que esta não foi uma medida tomada agora, garantindo que "todos os presidentes de câmara" estavam a par.
"As condições já estão no terreno há algum tempo. Aquilo que nós garantimos foi que houvesse todos os meios a funcionar e, ao fim de algum tempo, podermos fazer estas alterações numa época que fosse mais tranquila", explicou, lembrando que "não há situações neste momento de gravidade, de epidemias, é uma época tranquila do ponto de vista das doenças agudas".
Neste âmbito, a ministra fez votos para que a população entenda que "isto foi feito para melhorar as suas condições de saúde".
Ana Jorge falava aos jornalistas à margem da entrega dos troféus da Marca de Atendimento de Qualidade Reconhecida a 19 unidades de saúde do país, nomeadamente 13 centros de saúde e seis Unidades de Saúde Familiares (duas das quais da cidade de Viseu, a Grão Vasco e a Infante D. Henrique).

Últimas