PUBLICIDADE
AVANÇAR

Menu

+

0

0

País

Galiza é a região espanhola que mais compra a Portugal

5 Abril, 2010 - 08:12

102

0

Espanha comprou menos a Portugal, em 2009, mas algumas regiões fronteiriças nossas vizinhas contrariaram essa tendência e acentuaram a corrida aos bens portugueses, como foi o caso da Galiza.

Espanha comprou menos a Portugal, em 2009, mas algumas regiões fronteiriças nossas vizinhas contrariaram essa tendência e acentuaram a corrida aos bens portugueses, como foi o caso da Galiza. A Embaixada em Madrid está atenta a novas oportunidades.
Na sua malha de comunidades autónomas, Espanha inclui regiões que, sozinhas, "representam mais para a economia portuguesa do que alguns países europeus". A constatação, feita pelo embaixador de Portugal em Madrid, Álvaro Mendonça e Moura, está na base da aposta feita pela embaixada de empreender uma série de viagens a várias comunidades com a finalidade de impulsionar as trocas comerciais com Portugal e perceber que tipo de oportunidades oferece cada autonomia.
Apesar do decréscimo de 21,3% no total das vendas ao país vizinho em 2009 – para um total de 7253 milhões de euros -, Espanha continuou a ser, e por larga margem, o principal parceiro comercial para Portugal. "Exportamos mais para a Galiza do que para os Estados Unidos", faz notar o embaixador português, em declarações ao JN. De facto, dentro das regiões espanholas, em 2009, a Galiza destacou-se como o principal cliente dos produtos portugueses, com compras de 1511 milhões de euros. Seguiu-se a Catalunha com 1257 milhões de euros, a Comunidade de Madrid com 1249 milhões de euros, a Andaluzia com 624 milhões e Castela e Leão com 535 milhões (ver infografia).
Já no que diz respeito aos principais fornecedores de Portugal, as posições invertem-se, com a Catalunha a apresentar-se como o principal vendedor, em 2009, com 3460 milhões de euros, seguida da Comunidade de Madrid com vendas de 2346 milhões, da Galiza com 2039 milhões, da Andaluzia com 1411 milhões e da Comunidade Valenciana com 957 milhões de euros.
Estes números justificam o esforço da embaixada portuguesa "no sentido de sair de Madrid e fazer com que Portugal esteja mais presente nas autonomias". Uma vez que Espanha tem um estado descentralizado, é "importante" que Portugal "actue de forma contínua ao nível das comunidades autónomas", acredita Álvaro Mendonça e Moura, que leva sempre em mente a necessidade de "ajustar a aposta portuguesa em função dos interesses e da realidade de cada comunidade".
As autonomias fronteiriças (Andaluzia, Extremadura, Castela e Leão e Galiza) foram as primeiras a receber visitas oficiais da parte da embaixada portuguesa. A estas juntou-se recentemente a Comunidade Valenciana (ver caixa) e, para Maio, está já marcada uma visita ao País Vasco. Na agenda de Álvaro Mendonça e Moura seguem-se Aragão e Múrcia.
A balança comercial, no entanto, pende inevitavelmente para o lado espanhol, com as compras de Portugal a Espanha praticamente a duplicarem as vendas. O embaixador em Madrid justifica esta realidade com o facto de a "capacidade da maioria das empresas portuguesas não ser comparável à das espanholas", pois muitas delas têm dimensão mundial, como é o caso da Inditex (a dona da Zara). Por isso, Álvaro Mendonça e Moura garante ser fundamental uma "maior agressividade da parte das empresas portuguesas", cuja aposta no país vizinho deve ser "contínua e persistente".

FONTE: JN

Últimas