PUBLICIDADE
AVANÇAR

Menu

+

0

0

Desporto

Antevisão do fim-de-semana desportivo de 17 a 20 de Fevereiro

17 Fevereiro, 2012 - 17:26

94

0

A Associação de Futebol de Viana do Castelo e os clubes intervenientes na “Taça Ramiro Marques” (Taça de Honra) – Neves e Desportivo de Monção – resolveram dar-nos “tolerância de ponto” na Terça-feira de Carnaval, antecipando para este Domingo o jogo da segunda mão.

A Associação de Futebol de Viana do Castelo e os clubes intervenientes na “Taça Ramiro Marques” (Taça de Honra) – Neves e Desportivo de Monção – resolveram dar-nos “tolerância de ponto” na Terça-feira de Carnaval, antecipando para este Domingo o jogo da segunda mão.
Ora, o Neves – Desportivo de Monção, ou seja, o jogo de decisão e entrega do primeiro troféu oficial da época – a “Taça Ramiro Marques” ou vulgarmente conhecida por Taça de Honra, constituirá um dos pontos principais da jornada deste fim-de-semana desportivo. O clube da terra de Deuladeu parte em desvantagem, para esta segunda metade da final, já que foi derrotado no Manuel Lima, em 22 de Janeiro passado, por 2-1. Tem, por isso, necessidade de vencer o adversário, se quiser “dar boleia” ao “caneco”.
Não é, portanto, fácil a tarefa dos monçanenses. Aliás, não há jogos fáceis, mas este, além de ser disputado em casa do adversário, é-o perante um dos clubes mais prestigiados da Associação, em nítida subida de rendimento, mormente no decurso deste mês e meio em que já atingiu o terceiro lugar da tabela, no campeonato. Todavia, o Desportivo já venceu, na primeira volta do campeonato, nas Neves, por 1-0 e será este um resultado suficiente para empatar a eliminatória, como aliás qualquer vitória pela margem mínima, bastando uma por dois golos de diferença para arrecadar o troféu. No primeiro dos casos, ou seja um vitória monçanense por um golo de diferença, como não estamos em competições UEFA, obriga ao desempate através de grandes penalidades.

Esta final impossibilita a realização de jornada no campeonato, pelo que Courense e Valenciano estão dispensados para acorrer à folia carnavalesca, ao contrário dos quatro clubes da divisão secundária que iniciarão o desempenho da segunda etapa da época.
O Campos, único “Vale do Minho” apurado para a fase final do campeonato da I Divisão, inicia a tentativa de campeão e/ou subida à Honra, com deslocação a Bertiandos, ao campo das Lagoas, onde venceu na primeira fase e pretenderá repetir a vitória para entrar com os dois pés nesta sequência final de dez partidas. Além dos três pontos, uma vitória motivará ainda mais os comandados de Carlos Viana.
No Torneio Extraordinário, que poucos entendem e ninguém parece dar importância que valha, o sorteio colocou os três representantes “Vale do Minho” – Raianos, Moreira e Castanheira – no mesmo lote, embora nesta ronda inaugural não haja confronto entre eles. Castanheira e Moreira serão anfitriões, respectivamente, de Moledense e Lanhelas, sendo que os primeiros já se defrontaram na primeira fase, com vitória fácil dos courenses por 3-0, ao passo que os “canarinhos” não integravam a mesma série do Lanhelas, pelo que não haverá comparação de resultados entre ambos. Um e outros dos “nossos” poderão beneficiar ainda do factor “casa”, pensando em vencer, já que apesar do sensaborão torneio, “ninguém gosta de perder mesmo a feijões”.
O Raianos é a única das três equipas a jogar fora, visitando a Arcela, para defrontar o Fachense, clube de série diferente na primeira fase, mas acreditamos que terá valor e capacidade para derrotar os limianos.

Os clubes do nacional também não terão férias carnavalescas – e também não as merecem, pois já nos “pregaram partidas” suficientes no passado Domingo. Por isso, Melgacense Cerveira terão que medir forças, ambos em seus “domicílios”, com Fão e Maria da Fonte, respectivamente.
Ao Melgacense impõe-se uma vitória, condição indispensável para uma última tentativa de entrada na zona da tranquilidade absoluta. Mesmo esta poderá não ser suficiente, mas qualquer outro resultado afasta, em definitivo, o cenário de esperança e acarreta o “fantasma” de lutar pela manutenção e descida.
Aos homens da vila das artes reforçamos a nota dada ao Melgacense, já que não vencendo não terá “asas” suficientes para sair do fosso em que se precipitou. Qualquer ponto único conquistado em jogos, sobretudo caseiros, poderá constituir “presente envenenado” com o adiamento duma morte lenta.
Faltam doze pontos em disputa a cada um, nesta primeira fase, e torna-se obrigatório a cada um amealhar mais de metade, não podendo desperdiçar os próximos, em casa.

Uma referência ao Inatel que, embora em pausa, mantém um encontro entre o Estrela de Monção e o Gárcea, na tarde de Sábado, na Tomada, em Moreira, para fechar a primeira volta e colocar o calendário em dia, embora no final se mantenham as posições de ambos, independentemente do resultado. Mas o pecúlio também é interessante e, por isso, “estrelinhas”, há que pôr o adversário a ver-vos.

Tudo isto, sem deixar de acompanhar as emoções dos “grandes”, acabados de sair duma semana europeia menos proveitosa, e sem deixar o destaque às modalidades e às camadas jovens, com excepção dos Benjamins e Infantis, que estão em férias de Carnaval, a quem dedicamos um programa especial às Terças-feiras.

Como habitualmente, saberá todos os pormenores do desenrolar dos encontros, na “TARDE DESPORTIVA”, no ar a partir das 14.30 horas de Domingo.
Depois das emoções de Domingo, esteja atento ao rescaldo na tarde ou noite de Segunda-feira, no “Prolongamento” ou nos “Tamanhos da Bola”, no dia imediato.

Últimas