Menu

+

0

0

P. de Lima

Scott Mathews

27 Novembro, 2021
21:30
Teatro Diogo Bernardes

O cantor/autor desafia-se constantemente através da sua criatividade

+ Música

A 27 de novembro, às 21h30, o Teatro Diogo Bernardes, apresenta o espetáculo de música “Scott Matthews”

Se há algo que define a carreira de Scott Mathews é sua contante evolução.

O cantor/autor desafia-se constantemente através da sua criatividade e esta é pautada de uma excecional qualidade. Enquanto Matthews se prepara para o lançamento de seu sétimo álbum de estúdio, novos horizontes surgem e prepararam um novo um feitiço. A mestria de Matthews é uma benção. O artista vencedor de um Ivor Novello faz parte de uma linhagem que inclui grandes nomes como Buckley e Drake, John Martyn e Paul Simon.

De guitarra nas mãos e uma voz que é pura emoção, afirmou-se como um dos maiores criadores de música do mundo. Introspetivo e reflexivo, combina blues e folk, mistura o etéreo com o empíreo. Matthews é um alquimista musical que transforma metal em puro ouro.

Rompendo com o amado êxito Passing Stranger e, mais recentemente, dominando a delicada arte de música-de-um-homem-só-e-uma-guitarra, onde cria uma sonoridade esparsa e um falsete único, por meio dos registros Home Pt I, Home Pt II e The Great Untold, Matthews aventura-se em novos caminhos.

A eletrónica combinada com grandes guitarras elétricas e acústicas, é onde Matthews encontra novas tonalidades para a sua tela. O seu mais recente trabalho será lançado ainda este ano e será acompanhado por uma tour, onde revisitará os favoritos dos seus fãs.

“Foi uma distração muito bem-vinda trabalhar no meu sétimo disco. Pela primeira vez, consegui fazer soar as músicas exatamente como queria, dentro das limitações que me propus.”

O novo álbum de Matthews soará esparso com um ar de minimalismo eletrónico com menos instrumentação do que em trabalhos anteriores; percussão, cordas e sopros são substituídos por um mundo de sintetizadores emotivos e ritmos de bateria pulsantes. Ensaia na igreja local, e testa-se, saindo da sua zona de conforto, enquanto explora novos sons e novas formas de fazer música.

Se procura alguns exemplos como o de Matthews, encontra David Sylvian, Mark Hollis, Brian Eno ou Thom Yorke, que, também eles, conheceram novas abordagens num mundo em constante mudança.

“Em muitos aspetos, é como começar de novo. Sinto-me renascido num mundo oscilante. O fato de estar a criar música tão diferente leva-me a cantar e escrever de uma forma agradavelmente inesperada, e inspira-me a uma nova energia na minha abordagem à música. Há uma dinâmica pulsante, pela qual estou encantado.”

Matthews fará uma tour pelo Reino Unido, em novembro, e tocará em várias igrejas e espaços incomuns com ambientes naturais adequados para os seus novos sons lo-fi.

Será o homem e a guitarra atravessado por uma onda de música eletrónica. “Estou fascinado por sons que transportam o ouvinte e o encorajam a se conectar com o seu ser. Acho que estas músicas vão despertar sentimentos e abanar alicerces.”

Ao longo de 14 anos e com seu sétimo álbum no horizonte, Matthews continuou a inovar com canções de nos tirar o folego. E agora propõe-se a novos desafios e evolui por novos e sonantes caminhos.

Últimas