PUBLICIDADE
AVANÇAR

Menu

+

0

0

Alto Minho

24 Março, 2010 - 15:29

140

0

A conjuntura da região norte registou "algumas evoluções positivas" no 4.º trimestre de 2009 a nível das exportações, hotelaria e incumprimento bancário, mas o desemprego voltou a subir e atingiu o novo máximo de 11,9 por cento.

A conjuntura da região norte registou "algumas evoluções positivas" no 4.º trimestre de 2009 a nível das exportações, hotelaria e incumprimento bancário, mas o desemprego voltou a subir e atingiu o novo máximo de 11,9 por cento.
Segundo o relatório trimestral Norte Conjuntura, da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDRN), "o diferencial entre os níveis de desemprego nacional e da região do norte atinge agora 1,8 pontos percentuais e é o mais elevado de que há registo".
Os números do Instituto Nacional de Estatística (INE) apontam para cerca de 236 mil desempregados na região no 4.º trimestre, 41,8 por cento do total nacional, enquanto o Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP) refere, no período, um valor médio mensal de 229 mil desempregados inscritos nos centros de emprego do norte.
A perda de postos de trabalho na região continuou a acontecer sobretudo nas indústrias transformadoras (menos 27 mil empregados), construção (menos 17 mil empregados), alojamento, restauração e similares (menos 14 mil empregados) e administração pública (menos 9 mil empregados).
De outubro a dezembro, as exportações da região norte para a União Europeia (UE) cresceram 2,1 por cento em termos homólogos, invertendo assim a tendência negativa registada há mais de um ano.
Segundo a CCDRN, em dezembro o crescimento atingiu os 13,8 por cento, fruto da "maior animação da procura nos principais mercados europeus", que se refletiu também no total das exportações portugueses para a UE.
A impulsionar as exportações regionais no 4.º trimestre estiveram, sobretudo, os produtos da indústria automóvel (mais 34,5 por cento em termos homólogos), produtos de borracha (mais 25,7 por cento), mobiliário (mais 24 por cento) e as máquinas, aparelhos e material elétrico (mais 19,3 por cento).
Segundo a CCDRN, também os indicadores da atividade turística "revelaram uma melhoria" no bimestre outubro/novembro de 2009, com as dormidas e o número de hóspedes em estabelecimentos hoteleiros a acelerarem o crescimento homólogo para 5,6 e 8,2 por cento, respetivamente.
Quanto ao rácio de incumprimento bancário por parte das empresas nortenhas, diminuiu no 4.º trimestre de 2009, "contrariando o forte crescimento registado desde o final de 2008".
No final do trimestre, o crédito vencido representava 4,3 por cento do total da carteira de crédito detido pelo sistema bancário e financeiro sobre as empresas regionais, contra 4,7 por cento no trimestre anterior.
"O saldo dos empréstimos às empresas desta região apresentava, no final do 4.º trimestre de 2009, uma variação de mais 2,7 por cento face ao trimestre homólogo de 2008, valor que constitui o menor crescimento desde há mais de quatro anos", refere a CCDRN, embora ressalvando que esta desaceleração "é menos acentuada do que a verificada nos empréstimos às empresas a nível nacional".

FONTE: Lusa

Últimas