PUBLICIDADE
3
AVANÇAR

Menu

+

0

0

Alto Minho

8 Abril, 2010 - 18:48

874

0

Uma associação constituída por cinco municípios do Alto Minho e 16 da Galiza vai avançar com um estudo que possibilitará a utilização indiferenciada dos serviços de saúde das duas regiões pelos cidadãos de ambos os lados da fronteira.

Uma associação constituída por cinco municípios do Alto Minho e 16 da Galiza vai avançar com um estudo que possibilitará a utilização indiferenciada dos serviços de saúde das duas regiões pelos cidadãos de ambos os lados da fronteira.A informação foi hoje adiantada, à Lusa, pelo presidente da Uniminho, Rui Solheiro, que explicou que a decisão tem como "chapéu" o acordo de cooperação sanitária transfronteiriça celebrado pelos governos espanhol e português, na Cimeira Ibérica de Zamora, em janeiro de 2009.
O acordo, que visa facilitar o acesso das populações fronteiriças a equipamentos de saúde dos dois lados da fronteira, foi publicado em Diário da República a 19 de março.
"Tendo este acordo como chapéu, a Uniminho decidiu agora avançar com um estudo de cooperação transfronteiriça, na área da saúde, que posteriormente será apresentado aos governos dos dois países", referiu Rui Solheiro.
"A ideia é que um cidadão do lado português possa recorrer livremente aos cuidados de saúde galegos e que um cidadão galego se possa socorrer nos hospitais e centros de saúde portugueses", acrescentou.
O objetivo do estudo é fazer um diagnóstico dos serviços e equipamentos de saúde existentes nas duas regiões e a apresentação de propostas concretas de prestação de serviços de saúde transfronteiriços.
A elaboração do "caderno de encargos" foi confiada à Universidade do Minho, após o que será aberto concurso para a concretização do estudo.
"Trata-se de aproveitar ao máximo tudo o que forem equipamentos, meios técnicos e humanos, e pô-los ao serviço das populações das duas regiões", disse ainda Rui Solheiro.
Esta possibilidade de livre acesso aos cuidados de saúde transfronteiriços ganha particular acuidade depois do encerramento, em finais de março, dos serviços de atendimento permanente de Valença, Melgaço, Paredes de Coura e Arcos de Valdevez.
A Uniminho é constituída pelos concelhos portugueses de Melgaço, Monção, Valença, Vila Nova de Cerveira e Paredes de Coura e por 16 municípios da província de Pontevedra, na Galiza. FONTE: Lusa

Últimas