PUBLICIDADE
AVANÇAR

Menu

+

0

0

País

País: Ministro da Educação defende que o combate ao discurso de ódio começa na escola

26 Outubro, 2021 - 16:45

394

0

Na Conferência Global de Ministros da Educação, organizada pela UNESCO.

O ministro da Educação defendeu hoje que o combate ao discurso de ódio, à discriminação e à violência deve começar na escola, tão cedo quanto possível, e sublinhou a importância da inclusão social.

 

“Do pré-escolar à formação adulta, Portugal considera que a educação desempenha um papel fundamental e insubstituível no combate a qualquer forma de intolerância”, sublinhou Tiago Brandão Rodrigues.

 

De acordo com o portal Sapo.pt, o ministro falava durante a Conferência Global de Ministros da Educação, organizada pela UNESCO, num painel de alto-nível dedicado à educação como ferramenta para combater os discursos de ódio.

 

Para o governante, as escolas têm de ser capazes de identificar e atacar a radicalização, o ‘bullying’ e qualquer outro tipo de comportamento discriminatório desde cedo e aí destacou o papel dos professores.

 

Questionado sobre a forma como Portugal responde a estas questões, Tiago Brandão Rodrigues referiu como exemplo a estratégia nacional de educação para a cidadania e o plano Escola Sem Bullying, Escola Sem Violência, afirmando que a prevenção é um trabalho que “envolve toda a comunidade educativa”.

 

O objetivo, explicou, é “prevenir qualquer tipo de comportamento violento, com a visão de construir escolas mais inclusivas, onde as crianças e jovens se sintam seguros e protegidos”, independentemente do seu contexto socioeconómico, crenças religiosas ou orientação sexual.

 

O ministro reconheceu ainda a importância da inclusão social, sustentando que também aí a escola desempenha um papel fundamental, na promoção da igualdade de oportunidades.

 

Por outro lado, Tiago Brandão Rodrigues defendeu que, atualmente e mais do que nunca, são necessárias pontes e terrenos comuns, cuja construção começa na memória coletiva.

 

 

[Fotografia: Arquivo/DR]

Últimas