PUBLICIDADE
3
AVANÇAR

Menu

+

0

0

Monção

“Não há dúvida! O Alvarinho de Monção e de Melgaço é diferente. Deixa marca”

4 Julho, 2024 - 21:47

2

0

Feira do Alvarinho de Monção começou esta quinta-feira.

“Esta é uma feira especial. A maior Wine Party de Portugal ultrapassou os 100 mil visitantes e eu desafio a atingir os 150 mil”.

 

As palavras são do Primeiro-Ministro, Luís Montenegro, que esta quinta-feira inaugurou a edição deste ano da Feira do Alvarinho de Monção.

 

 

[Fotografia: Rádio Vale do Minho]

 

 

[Fotografia: Rádio Vale do Minho]

 

 

Sorridente, o Chefe de Governo chegou ao Parque das Caldas e foi imediatamente saudado por dezenas de pessoas. Várias individualides e muitos populares.

 

Alguns fizeram até questão de tirar uma selfie para recordar o momento em que, pela primeira vez em 27 edições deste certame, um Primeiro-Ministro presidiu à inauguração.

 

 

[Fotografia: Rádio Vale do Minho]

 

 

[Fotografia: Rádio Vale do Minho]

 

 

 

“Este é um evento que junta a cultura popular portuguesa. Estes grupos folclóricos, as confrarias, o movimento associativo e toda essa capacidade de utilizar o que somos capazes de fazer bem e o que somos capazes de fazer ainda melhor que outros”, enalteceu Montenegro.

 

 

[Fotografia: Rádio Vale do Minho]

 

 

“Não há dúvida! O Alvarinho de Monção e de Melgaço é diferente dos outros. É próprio. Tem uma autenticidade que faz dele único. Que faz dele algo que deixa marca”, sublinhou categoricamente o Primeiro-Ministro.

 

 

[Fotografia: Rádio Vale do Minho]

 

 

[Fotografia: Rádio Vale do Minho]

 

 

Ato contínuo, Montenegro virou para a agricultura.

 

“A agricultura portuguesa é estratégica para o País. E para ser verdadeiramente estratégica, tem de conciliar com outros valores e objetivos”, defendeu.

 

“Conheço muitos viticultores que são dos maiores ambientalistas efetivos e reais que temos em Portugal”, exemplificou.

 

 

[Fotografia: Rádio Vale do Minho]

 

 

Na reta final, Montenegro deu resposta tanto a Monção como a Melgaço que defendem a Denominação de Origem para o vinho Alvarinho.

 

“Sim. É preciso que haja o reconhecimento desta singularidade. Deve haver, a bem desta região e a bem também dos produtos que se possam produzir noutras regiões. Não é bom que o Alvarinho de Monção e de Melgaço se confunda com Alvarinho de outras regiões e elas também não quererão condundir-se com o que se faz aqui”, concluiu.

 

Enorme aplauso para Luís Montenegro.

 

A Feira do Alvarinho de Monção arrancou esta quinta-feira. Vai prolongar-se até ao próximo domingo.

 

 

[Fotografia capa: Rádio Vale do Minho]

Últimas