PUBLICIDADE
3
AVANÇAR

Menu

+

0

0

Destaques
Mundo

Mundo: De onde vem, afinal, a palavra ‘vírus’? – Saiba AQUI

31 Março, 2020 - 09:02

488

0

PUB De onde vem, afinal, a palavra vírus? De acordo com Marco Neves, tradutor e docente universitário, a palavra já era aplicada há mais de dois mil anos, durante o […]

PUB

De onde vem, afinal, a palavra vírus? De acordo com Marco Neves, tradutor e docente universitário, a palavra já era aplicada há mais de dois mil anos, durante o Império Romano. O termo virus designava um veneno ou um líquido fétido de origem animal. Teria ainda outros significados, mas não estariam muito distantes dessas pouco recomendáveis acepções.

Entretanto, a História da Humanidade avançou. O latim transformou-se nas mais variadas línguas e o termo virus caiu no esquecimento durante séculos.

Foi então que, em finais do século XIX, o cientista holandês Martinus Beijerinck descobriu que algumas doenças eram transmitidas por qualquer coisa ainda mais pequena que as bactérias. Era necessário dar um nome a essa ‘coisa pequeníssima’. O cientista abriu o dicionário e encontrou justamente a palavra virus. Os pequeníssimos germes foram assim batizados com esse velho nome latino.

A palavra voou até às várias línguas humanas com o sentido preciso que o cientista lhe deu. E está hoje nas bocas do mundo, por causa do novo coronavírus que nos tem preocupado. 

Completamente recuperada por Beijerinck, a palavra virus espalhou-se pelo mundo… e pela literatura. Veja-se n’ Os Maias, de Eça de Queirós: 

«Os collegas diziam que o Maia, rico, intelligente, avido de innovações, de modernismos, fazia sobre os doentes experiencias fataes. Tinha-se troçado muito a sua idéa, apresentada na Gazeta Medica, a prevenção das epidemias pela inoculação dos virus. Consideravam-no um phantasista. E elle, então, refugiava-se todo n’esse livro sobre a medicina antiga e moderna, o seu livro, trabalhado com vagares d’artista rico, tornando-se o interesse intellectual de um ou dous annos.»

A história desta palavra não acabou na cabeça do cientista holandês. Depois de reinventada para dar nome a um novo tipo de germe, veio a ganhar novos sentidos.

Hoje, um vírus pode ser também um programa de computador que se propaga com intuito de danificar, de alguma forma, as máquinas onde se aloja. Estávamos já nos anos 70 do século passado.

Depois, como tantas e tantas outras palavras, a palavra virus também ganhou usos metafóricos: há ideias que são como vírus, como bem sabemos. Armada em adjectivo, a palavra continuou a cavalgar: há doenças virais, há imagens virais, há notícias virais… Há até irritações virais.

 

[Fotografia: Direitos Reservados]

 

PUB

 

Últimas