PUBLICIDADE
AVANÇAR

Menu

1

1

Melgaço
Monção

Monção/Melgaço: Confraria do Alvarinho geminou com Confraria… da Madeira! – Veja porquê

7 Outubro, 2021 - 22:44

892

0

Cerimónia foi realizada na ‘pérola do Atlântico’.

A Real Confraria do Vinho Alvarinho (RCVA) geminou com a Confraria Enogastronómica da Madeira. A cerimónia foi realizada na pérola do Atlântico, integrada no Grande Capítulo e 20º aniversário da confraria madeirense.

 

Apesar de distanciadas geograficamente “estas duas confrarias estão unidas por objetivos muito idênticos que têm na sua base a promoção e divulgação dos respetivos territórios”, realça a RCVA em comunicado.

 

“Esta geminação com a Confraria Enogastronómica da Madeira representa um marco importante pois, para além de permitir o estreitamento de laços confrádicos, abre, também, portas para novos embaixadores do vinho Alvarinho nesta maravilhosa ilha”, considera a RCVA.

 

A RCVA fez-se representar por uma equipa de sete elementos: Vitor Cardadeiro (Grão-Mestre e Mestre); Isabel Domingues (Cancelário Mor e Oficial); Manuel Augusto Castro (Mestre de Cerimónias); Abel Codesso (Oficial); João Gil Rodrigues (Enófilo); Carla Sofia Carpinteiro (Enófila); e Joaquim Silva Vianez (Enófilo).

 

 

Veja a galeria de fotos [créditos: RCVA]

 

 

 

Sobre a Real Confraria do Vinho Alvarinho

A Real Confraria do Vinho Alvarinho, fundada em 2007, é uma entidade de direito privado que tem como objetivo a valorização e defesa do vinho Alvarinho, produzido na Sub-Região de Monção e Melgaço, preservando a autenticidade deste território através da divulgação do seu património vinícola.

 

Dos objetivos propostos, referência também para a concretização de ações associadas ao cultivo da vinha e ao turismo rural e promoção paisagística e arquitetónica dos dois concelhos, bem como para a riqueza e variedade da gastronomia local.

 

Os confrades podem ser efetivos (Mestres ou Oficiais), honorários, protetores e enófilos. Os Confrades Mestres são pessoas que exercem a sua atividade como viticultores do vinho Alvarinho. Os Confrades Oficiais são técnicos de viticultura e enologia ou outros ligados ao setor.

 

Podem ser Confrades Honorários as pessoas, singulares ou coletivas, que se interessam pelo propósito da Real Confraria do Vinho Alvarinho ou que, pela sua ação ou serviços prestados, tenham contribuído para a sua valorização. Confrades Protetores são pessoas, singulares ou coletivas, que queiram apoiar as atividades promovidas.

 

Por sua vez, Confrades Enófilos são pessoas, singulares ou coletivas, que expressamente se declaram amigos do Vinho Alvarinho e adiram aos objetivos da entidade.

Últimas