PUBLICIDADE
AVANÇAR

Menu

+

1

0

Melgaço

Melgaço: ‘Luz verde’ à nova residência académica – Mais 21 camas em 2023

15 Setembro, 2022 - 23:23

313

0

Costa anunciou apoio de 375 milhões ao alojamento de estudantes deslocados.

No final do próximo ano, Melgaço terá mais 21 camas para os estudantes deslocados da Escola Superior de Desporto e Lazer de Melgaço – IPVC, do Instituto Politécnico de Viana do Castelo.

 

O Vice-Presidente da Câmara, José Adriano Lima, marcou presença esta quinta-feira na Academia das Ciências, em Lisboa, para a sessão destinada à assinatura de 119 projetos para residências de estudantes do ensino superior.

 

Entre estas, evidentemente, esteve a futura residência académica de Melgaço.

 

Recorde-se que, no âmbito de uma candidatura que o Município apresentou ao Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), e conforme noticiou a Rádio Vale do Minho, vai ser reabilitada a antiga escola primária de Prado e adaptá-la às funções de residência universitária.

 

O investimento previsto é de cerca de 640 mil euros +IVA (o financiamento do PRR é de 100% das despesas elegíveis).

 

A futura residência ficará localizada na União de Freguesias de Prado e Remoães, adjacente ao centro urbano, proporcionará um fácil acesso dos residentes à instituição de ensino, aos equipamentos de saúde, cultura, desporto e comércio mais próximos, e ainda aos pontos nodais e interfaces de transportes públicos (central a menos de 1km e ESDL a cerca de 1,2 km).

 

Contribuirá também para a recuperação de património público devoluto.

 

 

Como vai ser a residência?

A futura residência será composta por 14 quartos, com instalações sanitárias privativas, nomeadamente seis quartos individuais, sete 7 quartos duplos e um quarto adaptado para mobilidade reduzida; três salas (de estar e de estudo); duas copas; sala de receção e circulações, que cumprem os requisitos exigidos na Portaria n.º 35-A/2022, de 14 de janeiro; lavandaria; arrecadação; e logradouro com estacionamento automóvel para seis viaturas ligeiras e 20 bicicletas.

 

O projeto foi desenvolvido no sentido de garantir condições de bem-estar e qualidade de vida aos estudantes, procurando compatibilizar a vivência em comum com o respeito pela individualidade e privacidade de cada residente, equilibrando a oferta de quartos individuais com quartos duplos.

 

Nesse sentido, fomenta-se a convivência, a camaradagem e o espírito de comunidade, ao mesmo tempo que se promovem condições para um ambiente de estudo que conduza ao sucesso académico.

 

O edifício situa-se no interior do aglomerado da extinta freguesia de Prado, enquadrando-se com as construções envolventes.

 

 

Costa anuncia apoio de 375 milhões ao alojamento de estudantes deslocados

Nesta sessão, António Costa referiu que vai haver um investimento de 375 milhões de euros no apoio ao alojamento de estudantes deslocados e assumiu que a meta de Portugal é ter 26 mil camas para estudantes até 2026, num discurso em que considerou a questão do alojamento como um dos maiores obstáculos no acesso ao ensino superior.

 

No seu discurso, António Costa salientou que, de 15 mil camas, Portugal vai passar para 26 mil camas até ao final de 2026.

 

 

Portugal vai ter 26 mil camas para estudantes deslocados até final de 2026

[Fotografia: José Manuel Carpinteira]

 

 

“A meta não é individualizada por instituto politécnico, por universidade ou por municípios. Ou cumprimos tudo ou não recebemos nada”, advertiu, numa alusão às regras do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR).

 

Segundo o primeiro-ministro, em matéria de estratégia para a melhoria das qualificações, até 2030, seis em cada 10 jovens com 20 anos deverá frequentar o ensino superior. Entre os 30 e os 34 anos, Portugal deverá ter 50% deste grupo etário com o ensino superior concluído também até ao final da década.

 

 

[Fotografias capa: Município Melgaço]

Últimas