PUBLICIDADE
AVANÇAR

Menu

+

0

0

Melgaço

Melgaço: ANACOM veio cá… e Batista mostrou que não está tudo bem

8 Julho, 2022 - 18:22

382

0

Comunicações.

Está tudo bem? Não. Não está. O presidente da Câmara de Melgaço, Manoel Batista, deixou isso bem claro esta quinta-feira ao presidente da Autoridade Nacional de Comunicações (ANACOM). 

 

João Cadete de Matos marcou presença na apresentação de resultados de um estudo que realizou e que afere a qualidade das redes móveis da MEO, NOS e Vodafone, na perspetiva dos utilizadores no nosso concelho.

 

O autarca melgacense teve a oportunidade. E não a desperdiçou. Olhos nos olhos, Manoel Batista reivindicou, uma vez mais, “os problemas que existem em várias freguesias do concelho ao nível da falta de cobertura das redes, fixas e móveis, bem como as dificuldades na receção de televisão digital terrestre (TDT), que obrigaram as populações a subscrever serviços de televisão paga e pacotes de serviços, bem como a degradação da qualidade do serviço postal”.

 

Em resposta, o presidente da ANACOM explicou “as mudanças que são esperadas no setor, que poderão trazer uma alteração significativa à situação das telecomunicações em Portugal, sobretudo nos concelhos e freguesias com maiores défices de cobertura”.

 

Referiu que as obrigações de cobertura que decorrem das regras do Leilão do 5G, de acordo com as quais 75% da população das freguesias de baixa densidade tem que ter acesso à Internet a uma velocidade de 100 Mbps no final de 2023, valor que sobe para 90% em 2025. De acordo com o Presidente da ANACOM o roaming nacional pode contribuir para que os operadores atinjam estas metas, com menores custos.

 

Sobre as redes fixas de elevada capacidade, deu nota do trabalho que a ANACOM está a fazer com o Governo, com vista ao lançamento, ainda este ano, de um concurso público internacional para selecionar a empresa que instalará fibra ótica nas zonas onde ela ainda não existe, de modo que todos os alojamentos possam ficar cobertos.

 

João Cadete de Matos esclareceu ainda que, “no imediato, a única forma de suprir a ausência de cobertura de redes de dados de elevada capacidade, fixas ou móveis, é recorrer aos serviços de Internet que utilizam constelações de satélites de baixa altitude e que já estão disponíveis em Portugal”.

 

Sobre a TDT, referiu que “o serviço pode ser difundido por duas formas: terrestre e por satélite e lembrou que quem não recebe por via terrestre, recebe por satélite, existindo uma comparticipação para a compra do equipamento satélite. Afirmou ainda que uma alternativa seria levar a TDT a todos através de fibra ótica”.

 

 

ANACOM apresentou resultados em Melgaço

[Fotografia: Município Melgaço]

 

 

Resultados em números

Segundo o estudo, foram percorridos pela equipa da ANACOM cerca de 400 quilómetros e realizadas 1.060 chamadas de voz, 417 testes de velocidade de ligação à Internet e mais de 86 mil registos de sinal rádio, entre 27 e 28 de junho de 2022, no concelho de Melgaço. Os resultados mostram que:

 

  • Do total de medidas efetuadas por cada operador, registou-se a indicação de cobertura em 94,3% da MEO, 94,6% da NOS e 95,6% da Vodafone. Estes níveis de cobertura incluem o roaming internacional que representa 22,2% na MEO, 46,1% da NOS, e 13,9% na Vodafone;
  • Qualidade da cobertura radioelétrica dos sistemas de comunicações móveis foi classificada em 6 níveis: “Inexistente”, “Muito Má”, “Má”, “Aceitável”, Boa” e “Muito Boa”, em função do nível de sinal recebido no dispositivo móvel. Agregando os registos de qualidade “Inexistente”, “Muito Má” e “Má”; estes perfazem um total de 29,3% na MEO, 33,3% na NOS, e 40,1% na Vodafone;
  • No serviço de voz, os resultados apurados relativamente à acessibilidade (estabelecimento de chamada com sucesso) foram de 90,9% para a MEO, 91,8% para a NOS, 91,2% para a Vodafone. Foram efetuadas em roaming 18,5% das chamadas na MEO, 46,6% na NOS e 3,4% na Vodafone;
  • O rácio de terminação bem-sucedida de chamadas (as que se concretizaram e se concluíram com sucesso, incluindo roaming) foi de 86,4% para a MEO, 87,8% para a NOS e 87,5% para a Vodafone;
  • As taxas de sucesso de testes NET.mede (testes iniciados e concluídos) realizados nas redes nacionais foram de 69,4% para a MEO, 50% para a NOS e 61,3% para a Vodafone. Não foram considerados nestas percentagens os testes efetuados em roaming, 31% na MEO, 69% na NOS e 28% na Vodafone, visto não estar em causa a verificação da performance de dados dos operadores espanhóis. Identificaram-se falhas em zonas de pior nível de sinal, em que se obtêm baixas velocidades de transferência de dados;
  • As velocidades médias de transferência de dados em download e upload foram, respetivamente, 47,5 e 6,2 Mbps na MEO, 43,6 e 12,1 Mbps na NOS 34,6 e 10,3 Mbps na Vodafone, sendo de destacar a existência de grande variação dos valores observados, muito dependente dos locais onde foram realizados os testes. Quanto à latência verificaram-se valores entre os 30 e 60ms, em 91,9% dos testes da MEO, 71,9% dos testes na NOS e em 75% dos testes na Vodafone.

 

No final da reunião, o presidente da Câmara de Melgaço reiterou o que tem vindo a defender desde sempre.

 

“Vamos continuar a exigir melhores condições para Melgaço, para que toda a população possa ter acesso a estes serviços, tão básicos nos dias de hoje”, assegurou.

 

 

[Fotografia capa: Município Melgaço]

Últimas