PUBLICIDADE
AVANÇAR

Menu

0

0

Destaques
Melgaço

GNR foram presos por… espionagem – Conheça um dos episódios mais ‘caricatos’ da banda

12 Agosto, 2021 - 10:32

20

0

PUB Chamam-se GNR e formaram-se no Porto, em 1980. São uma das mais conhecidas bandas portuguesas e vão atuar em Melgaço no próximo sábado. A sigla nada tem a ver […]

PUB

Chamam-se GNR e formaram-se no Porto, em 1980. São uma das mais conhecidas bandas portuguesas e vão atuar em Melgaço no próximo sábado. A sigla nada tem a ver com a força de segurança militar. São as iniciais de Grupo Novo Rock.

Ora, o jornalista Hugo Torres, do jornal Público, escreveu uma biografia da banda onde relata alguns dos episódios mais caricatos acontecidos ao longo da carreira destes músicos.

Uma dessas histórias, contada pelo jornalista ao portal da NiT, aconteceu no princípio dos anos 80. Rui Reininho (vocalista da banda) dava uma entrevista em vídeo a um jornalista francês, gravada, por acaso, em frente de um quartel da GNR, no Porto.

A tensão entre a banda e a polícia com a qual partilham o nome era evidente. Na época, em ambiente típico de Guerra Fria, “poderia ser considerado espionagem filmar um quartel da GNR”. Algo que a banda e o jornalista não faziam a mínima ideia.

Resultado? Foram todos detidos pela PSP, autoridade responsável pelo centro da cidade. E tiveram de esperar por uma resposta do tribunal militar.

“A banda e o jornalista passaram grande parte do dia na esquadra”, mas, como o problema não era com a PSP, “foram convidados para beber umas cervejas durante a tarde enquanto aguardavam, já que a GNR não queria largar a queixa. Foi Rui Reininho quem resolveu a situação quando ligou a uma amiga que tinha um pai general”, contou Hugo Torres. Foram todos libertados ao fim do dia.

“A GNR tinha ficado com as imagens da entrevista mas estava num formato diferente do VHS, que podia ser exibido no quartel da polícia militar. Por isso, nunca conseguiram ver as gravações e destruíram-nas”, acrescentou.

Os bilhetes estão a voar. Adivinha-se casa cheia no sábado. Mas ainda há esperança para quem quer mesmo ir.

Os ingressos podem ser adquiridos na Casa da Cultura de Melgaço, no Solar do Alvarinho, , no Núcleo Museológico de Castro Laboreiro e na Ticketline. Cada um custa 5 euros. 

No entanto, à entrada, cada espetador terá de apresentar um dos seguintes documentos:

 

  • Certificado de Vacinação válido;
  • Teste PCR até 72 horas antes;
  • Teste Antigénio até 48 horas antes;
  • Autoteste até 24 horas antes;
  • Autoteste até 24 horas antes feito em farmácia e/ou comprovado por profissional de saúde.

 

O início está previsto para as 22h00.

 

[Fotografia: DR]

 

PUB

 

 

Últimas