PUBLICIDADE
AVANÇAR

Menu

+

0

0

País

COVID-19: Terceira dose da vacina pode ser alargada a mais idades e grupos sociais

25 Outubro, 2021 - 10:11

446

0

Em entrevista ao Diário de Notícias.

A diretora geral da saúde, Graça Freitas, admitiu que o reforço da vacina contra a COVID-19 pode chegar a mais idades e grupos sociais. Em entrevista ao Diário de Notícias (DN), a especialista garantiu que se houver necessidade de alargar a administração da terceira dose, isso será feito.

 

Graça Freitas começou por referir que, na luta contra o vírus, vão “jogar com todas as armas que já temos e com as medidas que conhecemos, como a proteção individual, a deteção precoce dos casos, a testagem em massa, o isolamento profilático”.

 

“Vamos fazer tudo o que é necessário fazer, de acordo com o que já aprendemos, mas de forma diferente, doseando melhor as ações e as medidas. Não estamos a descobrir nada de novo, porque a única descoberta de que todos ainda estamos à espera é que surja um medicamento ou vários que consigam juntamente com as vacinas ser curativos e impedirem o desfecho negativo da doença”, afirmou.

 

Por esse motivo, adiantou ainda a especialista, “é que o primeiro pilar deste plano é a manutenção e o reforço da vigilância epidemiológica, porque é através desta que temos acesso à informação que nos dirá o que é preciso fazer”.

 

“Imagine que a vigilância nos indica que é necessário fazer reforços com a vacinação para proteger a população de mais transmissibilidade e de variantes mais agressivas”, indica sublinhado que agora “já estamos a fazer o reforço da população com mais de 80 anos e depois vamos fazer o reforço de todos os maiores de 65 anos”.

 

Segundo Graça Freitas, “a necessidade deste reforço foi-nos dada pela ciência, mas imagine que daqui a uns tempos a ciência nos indica que é preciso fazer reforços a outras idades e a outros grupos sociais. Nós também o faremos”, garantiu, citada pelo DN.

 

Questionada sobre se isso significa que todos os jovens e adultos vão receber um reforço vacinal, a diretora geral da saúde considera que “neste momento, ainda é prematuro dizer isso”, concluiu.

 

 

[Fotografia: Arquivo / DR]

Tópicos:

#Covid 19

Últimas