PUBLICIDADE
AVANÇAR

Menu

+

0

0

Melgaço

Consumidores e pequeno comércio pagam este ano menos por factura de residuos.

15 Março, 2010 - 15:51

186

0

Os consumidores melgacenses e o pequeno comércio e serviços do concelho de Melgaço vão, este ano, ver a factura de resíduos sólidos e limpeza pública diminuida. O anúncio feito pelo autarca local, Rui Solheiro, aponta apenas para aumento da factura a estabelecimentos com mais de 300 metros quadrados.

Os consumidores melgacenses e o pequeno comércio e serviços do concelho de Melgaço vão, este ano, ver a factura de resíduos sólidos e limpeza pública diminuida. O anúncio feito pelo autarca local, Rui Solheiro, aponta apenas para o aumento da factura a estabelecimentos com mais de 300 metros quadrados." Consumidores domésticos é de 1,33, passará para 1 euro. No comércio e serviços até 300 metros quadrados era de 1,60, passará para 1,50. Há aqui uma baixa. Depois, comércio e serviços com maios de 300 metros quadrados, que era de 2,80, a proposta é para 20 euros", explicou o autarca, sublinhando que "em Melgaço há um só caso" que justifica este aumento e que "produz resíduos aos molhos, que é o Ecomarché".
A recolha de óleos alimentares usados é o novo tipo de resíduos introduzido este ano no regulamento municipal, uma obrigação agora atribuída às autarquias. Na Comunidade Intermunicipal do Alto Minho, o processo, também, está a ser discutido. O presidente da CIM, Rui Solheiro fala numa recolha conjunta de óleos usados.
"Depois de termos falado com as duas empresas da região, a Valorminho e a Resulima, permitiremos uma candidatura para a recolha de óleos alimentares usados, permitindo distribuir por todas as casas recipientes para a recolha de óleos e depois fazer essa recolha", salientou o autarca que destacou vantagens: "Em vez de ser o município, porque é uma obrigação municipal, fazer aquisições e distribuição disto e pôr a contrapartida nacional, nós permitimos que estas empresas vão aos fundos previstos pelo município, no âmbito da contratualização da CIM, mas sejam elas a assegurar a contrapartida nacional. A muito curto prazo, vai ser feita uma candidatura para fazer essa recolha de óleos alimentares usados".
A garantia deixada por Rui Solheiro, na última assembleia municipal de Melgaço, não aponta datas, mas espera-se que, a curto prazo, essa candidatura possa já avançar.

Últimas