PUBLICIDADE
AVANÇAR

Menu

0

0

Autárquicas
Caminha
Destaques

Caminha: Centenas foram ao dólmen apoiar Miguel Alves na corrida à Câmara

1 Agosto, 2021 - 15:52

85

0

PUB [atualizada – com número oficial de presenças]   Gente. Muita gente. Uma multidão acorreu este sábado ao Dólmen da Barrosa, em Vila Praia de Âncora, para apoiar Miguel Alves […]

PUB
[atualizada – com número oficial de presenças]

 

Gente. Muita gente. Uma multidão acorreu este sábado ao Dólmen da Barrosa, em Vila Praia de Âncora, para apoiar Miguel Alves na recandidatura a um terceiro e último mandato à frente da Câmara Municipal de Caminha.

Um palco enorme. Três ecrãs gigantes. Várias colunas de som e luzes. Nada faltou num ambiente que parecia já de normalidade mas onde, parecendo que não, as normas da DGS estavam a ser cumpridas à risca.

O mar de gente espalhava-se ao redor do palco. Seguramente mais de 200. Mas a ilusão ótica – com o distanciamento – fazia com que parecessem ainda mais. E foram: os números oficiais de cadeiras ocupadas, de acordo com o PS Caminha, alcançou as 400.

As bandeiras desfraldavam-se ao vento… finalmente bandeiras! E música! Pelo ar ecoava em modo repeat o hino do Euro 2020. 

Mas a voz de Bono, dos U2, é daquelas que nunca cansa. Batiam-se pés ao ritmo da música. Os mais pequenos dançavam e os que chegavam em cima da hora iam ocupando os seus lugares.

Entretanto, nos três ecrãs podia já ler-se o lema da campanha socialista: Muito já feito, Muito mais a fazer.

 

 

José Luís Martins: “Em Miguel Alves reconheço elevadas qualidades pessoais e políticas”

 

 

O candidato à Assembleia Municipal de Caminha, José Luís Martins, foi o primeiro a subir ao palco. “Aceitei o convite para encabeçar a lista quando já tinha assumido para mim a passagem à reserva na política”, contou. “Mas quando estamos perante uma disputa que se vai fazer em condições de alguma dificuldade entendi que, no atual contexto político partidário, não poderia escusar-me deste desafio”.

Previsivelmente, não poupou elogios a Miguel Alves. “Nele reconheço elevadas qualidades pessoais e políticas, as quais vão potenciar uma gestão eficaz, coerente, dialogante e transparente num dos concelhos mais belos em termos paisagísticos do nosso país”, assegurou. Longo aplauso na multidão.

 

 

Tiago Brandão Rodrigues: “Miguel Alves é alguém de uma inteligência refinada”

 

 

Vindo diretamente de Lisboa, mas eternamente do Alto Minho, marcou presença nesta sessão o Ministro da Educação. Sempre com um sorriso e cumprimentador, Tiago Brandão Rodrigues subiu ao palco com um coração carregado de nostalgia. Começou o discurso com lágrimas nos olhos, ao recordar o pai que teve forte ligação a Caminha. Virou depois para a juventude e recordou momentos de adolescência vividos com Miguel Alves. Os dois viriam a reencontrar-se na Universidade de Coimbra. Foram adversários na corrida à presidência da Associação Académica.

“Mas éramos amigos. E eu olhava sempre para o Miguel e pensava: «Tomara que o cabeça-de-lista da minha lista fosse como o Miguel Alves»”, confessou. “Nunca to disse, Miguel. Digo-te agora!”, exclamou o Ministro.

“O Miguel Alves não é uma pessoa qualquer. É um cidadão de corpo inteiro. É alguém de uma inteligência refinada. Por muito que cada um de vós ame esta terra, desafio a provarem-me que amam mais esta terra do que o Miguel Alves”, atirou Brandão Rodrigues. Estrondoso aplauso na plateia.

Lembrou a admiração que Miguel Alves tem em todo o país. Sobretudo “naqueles corredores aos quais as pessoas chamam os corredores do poder”. Admiração esta, de acordo com o governante, fruto do “profissionalismo e da capacidade de fazer”. Mais palmas para o Ministro.

 

 

Miguel Alves: “Azar! Aquilo que prometo, cumpro!”

 

 

Chegou então o momento. Pelas colunas de som foi chamado ao palco o homem da tarde. A enorme moldura humana levantou-se e aplaudiu Miguel Alves. O candidato socialista, de braços no ar, distribuiu sorrisos pela multidão. Fez os agradecimentos e não tardou muito até abrir fogo à direita.

“O projeto que lidero neste concelho nunca dividiu. Nunca excluiu. Nunca colocou ninguém à parte. Foi isso que nos fez crescer do primeiro para o segundo mandato. Juntámos! Não excluímos!”, frisou. “Sempre tivemos o apoio de muitos que nem sempre votaram no PS. Viemos há oito anos para acabar com um clima de divisão, de perseguição que existia no concelho”, lembrou. Palmas na multidão.

E continuou em 2013, ano em que o PS conquistou a Câmara ao PSD. “Herdamos uma Câmara com muitas dificuldades. Com a dívida a rebentar e completamente ingovernável”, disse o candidato socialista. “Com processos judiciais, milhares de faturas na gaveta por registar e fábricas a fechar. Um concelho a bater recordes máximos de desemprego. A perder turistas e com os Bombeiros de Vila Praia de Âncora a entregar a chave à porta da Câmara. Caminha era um concelho a definhar”.

 

 

Enchente no Dólmen da Barrosa, em VP Âncora, para apoiar Miguel Alves

[Fotografia: PS Caminha]

 

 

No entanto, prosseguiu, os números mudaram. “Demos a volta à situação e chegamos a 2019 com mais de 178% de turistas. Com 200% de proveitos. Com 80% de exportações e com o desemprego a descer 67%”, enumerou Miguel Alves que recordou de seguida as várias obras feitas desde a Biblioteca de Caminha, passando pela requalificação do Cineteatro de Vila Praia de Âncora, o saneamento em várias freguesias, entre outras.

“Fizemos mais. Mas queremos fazer muito mais nos próximos quatro anos. Não pedimos o voto à nossa população por aquilo que já fizemos, mas sim por aquilo que queremos fazer”, realçou. E foi mais longe. “Eu não ando anos e anos a fazer sempre as mesmas promessas. Consultem os folhetos que apresentamos e apresentaremos. Desafio qualquer caminhense a dizer uma obra que eu tenha prometido e que não tenha concretizado em oito anos de mandato!“, exclamou.

“Há objetivos que às vezes não alcançamos. Mas nas obras, não há uma que eu tenha prometido e que não tenha conseguido determinar”. E subiu ainda mais de tom, num claro recado aos críticos. “Azar! Aquilo que prometo, cumpro! Cara a cara com os caminhenses. O que me comprometo é fazer, e eu faço. E as minhas equipas só trabalham assim!”, disparou.

 

 

Emprego, Habitação e Ambiente

 

 

Miguel Alves colocou os olhos no futuro. No próximo mandato que, de acordo com o socialista, vai ser marcado por “três linhas de orientação”: Emprego, Habitação e Ambiente. Não debitou o programa eleitoral todo. Optou por descerrar o pano a três grandes compromissos com a população.

No campo do Emprego, Miguel Alves compromete-se a criar um Centro de Ciência e Tecnologia no solo industrial de Argela e Vilar de Mouros. “A criação de uma zona industrial que terá como base indústrias de desenvolvimento e produção automóvel, um centro de formação profissional num consórcio que junta a Volkswagen, a Bosch e a Siemens e uma aceleradora de empresas num investimento de 80 milhões de euros”, revelou o o candidato quase que afogado pelos aplausos constantes da multidão.

Na Habitação, o candidato socialista assume o compromisso de investir 4,5 milhões de euros para reabilitar ou construir 47 habitações, até 2026, “fazendo com que nesse ano possamos ter casas mais condignas na nossa terra”.

“Pensamos alavancar 16 milhões de euros de investimento privado de modo a ter habitação a custos acessíveis para os nossos jovens poderem trabalhar e também viver em Caminha”. Mais uma forte ovação.

Na área do Ambiente, Miguel Alves considera que Caminha deve ser um concelho “protagonista” neste setor. Por isso, compromete-se “a aprovar a Área Protegida da Serra d’Arga para defendê-la dos apetites economicistas que querem tomar conta dela”. Longo aplauso. “Vamos lançar um investimento de larga escala que permitirá a renovação de água e de saneamento, levando-o a 90% do nosso concelho”.

 

 

“Vai ser uma campanha muito difícil”

 

 

“Vai ser uma campanha muito difícil. Vai ser uma campanha onde vamos ser muito criticados. Onde vamos ser muito atacados. Onde ideias mais populistas e mais insultuosas tomam conta das redes sociais e daqueles que não gostam de nós”, alertou Miguel Alves.

E foi então que o candidato rematou, inspirado em Quim Barreiros, que nessa noite atuaria em Vila Praia de Âncora.

“Hoje foi um dia glorioso! De entusiasmo e de alegria! Hoje apresentamos os nossos candidatos… os nossos rostos. E não poderia ser noutro dia! Qual é o melhor dia para apresentar esta equipa sem sofrer nenhum desgosto? É o 31 de julho… que a seguir entra agosto!“, concluiu Miguel Alves já perante um público em pé mais um trovão de aplausos.

As próximas eleições autárquicas estão marcadas para 26 de setembro.

 

[Fotografias capa: Rádio Vale do Minho / Interior: PS Caminha]

 

PUB

 

 

 

 

 

Tópicos:

#Autárquicas 2021

Últimas