PUBLICIDADE
AVANÇAR

Menu

+

0

0

Valença

«A Galiza mail’o Minho» já partilham o 112

14 Dezembro, 2022 - 19:18

417

0

pProjeto-piloto envolve o INEM e a Consellería de Sanidad de la Xunta de Galicia.

Alto Minho e Galiza já partilham o 112. Trata-se do chamado 112 transfronteiriço, um projeto-piloto de emergência médica que representa mais um passo no reforço da cooperação transfronteiriça e na resposta às necessidades das populações raianas.

 

A assinatura do memorando de entendimento deste projeto realizou-se esta quarta-feira, em Valença. Está assim criado o primeiro serviço de emergência médica interregional, entre Portugal e Espanha, tendo por região de atuação o Norte de Portugal e a Galiza.

 

Um projeto-piloto que envolve o INEM e a Consellería de Sanidad de la Xunta de Galicia.

 

Na abertura da sessão, o Presidente da Câmara de Valença, José Manuel Carpinteira deixou a mensagem de que “a saúde é uma área de especial relevância para a comunidade e também o é na estratégia comum de desenvolvimento transfronteiriço que os Governos de Portugal e Espanha projetam”.

 

“Proporcionar um acesso simplificado a cuidados de saúde de qualidade às populações das zonas de fronteira é um desígnio pelo qual as autoridades políticas e as instituições e entidades de saúde devem pugnar, através da otimização da organização da rede de cuidados de saúde e da melhor operacionalização, coordenação e distribuição dos recursos humanos e meios técnicos, incluídos no acordo-quadro de cooperação em saúde transfronteiriça”, defendeu o autarca.

 

Considera ainda Carpinteira que “a implementação do projeto-piloto 112 Transfronteiriço permitirá agilizar mais rapidamente os meios de emergência a ambos os lados da fronteira”.

 

 

Memorando de entendimento para criação do 112 transfronteiriço foi assinado esta quarta-feira, em Valença

[Fotografia: Município Valença]

 

 

Entre outras individualidades, marcaram também presença a Secretária de Estado da Saúde, Margarida Tavares, e a Secretária de Estado do Desenvolvimento Regional, Isabel Ferreira.

 

Margarida Tavares recordou que “nesta região concentram-se metade dos fluxos de pessoas na fronteira entre Portugal e Espanha e com este protocolo pretende-se melhorar a vida das pessoas nos cuidados de emergência e urgência médica”. 

 

Já Isabel Ferreira, considera que “o 112 transfronteiriço Galiza-Norte de Portugal é um exemplo paradigmático da otimização de recursos, serviços e equipamentos entre estas duas regiões”. Referiu ainda que “este é um  projeto emblemático na cooperação territorial entre os dois países e terá impactos diretos na melhoria da qualidade de vida das populações raianas, podendo até ser determinante para o salvamento de vidas”.

 

Em novembro, durante a cimeira ibérica que decorreu em Viana do Castelo, a ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa, anunciou que o 112 Transfronteiriço deverá estar a funcionar em toda a fronteira entre Portugal e Espanha em 2023.

 

O objetivo é replicar este protocolo e o projeto em todas as outras regiões de Portugal e de Espanha, país onde as competências de saúde são das regiões autónomas.

 

 

[Fotografias capa: DR]

Tópicos:

#Saúde

Últimas